JK Iguatemi - Se Fosse Fácil, Não Teria Graça

10/12 - SÁBADO às 19h30
11/12 - DOMINGO às 17h30

 

Espetáculo narra história real de ator portador de esclerose múltipla. Baseado no livro Um palhaço na boca do vulcão (editora Grua), de Nando Bolognesi, o espetáculo “Se fosse fácil, não teria graça” narra, sempre com muito bom humor, a trajetória do autor e interprete sobre como aprendeu a conviver com as limitações impostas por uma doença degenerativa, progressiva, incurável e com potencial incapacitante.


Na vida real o ator Nando Bolognesi é portador de esclerose múltipla, doença que provoca a perda progressiva dos movimentos. No espetáculo, o cômico profissional, formado em Economia e História, conta como descobriu, aos 21 anos, ser portador da doença e como decidiu conviver com ela.


Seu relato sobre como podemos transformar dificuldades, limites e crises em alegrias, desafios e realizações é engraçado, humano e comovente traz diversas reflexões sobre a vida, a morte, nosso lugar no universo e nossa relação com a alteridade.


Sem pieguices, Se fosse fácil não teria graça, uma tragicomédia que pode ser considerada a primeira sitdowntragedy, faz rir e chorar e convida o público a repensar o modo de estar no mundo e a enxergar a vida. A peça, que está em cartaz em São Paulo desde agosto de 2013, tem 80 minutos de duração. A censura é 14 anos.

Sobre o ator
Nando Bolognesi nasceu em maio de 1968. Aos 21 ficou sabendo que sofria de uma doença degenerativa, progressiva, incurável e com potencial incapacitante. Formou-se em Economia na USP – Universidade de São Paulo - e História na PUC – Pontifícia Universidade Católica. Casou-se, adotou um filho e resolveu dar uma virada na própria vida ao ingressar na concorridíssima Escola de Arte Dramática EAD-ECA-USP.
Trabalhou no cinema, na televisão e no teatro com diretores consagrados como Hector Babenco, Laís Bodansky, Fernando Meirelles, Celso Frateschi, Elias Andreato, José Rubens Siqueira, Wellington Nogueira e William Pereira entre outros.
Integrou o elenco de palhaços dos Doutores da Alegria (2001/2005), criou e dirigiu o projeto Cidadão Clown (2002), criou, atuou e dirigiu o grupo Fantásticos Frenéticos – palhaços em Hospitais psiquiátricos (2006-2008) e integrou o elenco de palhaços improvisadores no espetáculo Jogando no Quintal (2002/2012)
Como redator, revisor e escritor prestou serviços de assessoria de Comunicação para empresas como Bunge, Villares, Bradesco Seguros, Fertimport e CESP. Em 2012 foi aprovado no concurso para auditor fiscal tributário do município de São Paulo. Publicou o livro Um palhaço na boca do vulcão (ed. Grua), em agosto de 2014. Desde agosto de 2013 apresenta o espetáculo Se fosse fácil, não teria graça em teatros e empresas.

Sobre a esclerose múltipla
A esclerose múltipla acomete o sistema nervoso central e pode afetar o cérebro e a medula espinhal. Com o avanço da doença, os pacientes podem perder algumas capacidades físicas e cognitivas, manifestando-se de formas variadas em cada um.

Hoje o prognóstico da doença conta dos avanços da medicina, de novas abordagens terapêuticas e de tratamentos multidisciplinares que melhoram significativamente a qualidade de vida e o controle de surtos e sintomas dos pacientes.

Fonte: ABEM - Associação Brasileira de Esclerose Múltipla.

FICHA TÉCNICA
Autor – Nando Bolognesi
Direção – Nando Bolognesi
Assistente de direção – Élida Marques
Elenco – Nando Bolognesi
Iluminação: Marcelo Pessoa
Produção – Fernanda Meirelles e Élida Marques Prod. Art. Ltda
Assistente de Produção – Eliana Vaz

Meia Entrada: Crianças acima de 2 anos, deficientes físicos, estudantes, idosos, aposentados e professores da rede pública.

Classificação: 14 anos.

*Acesse aqui para conferir a política de meia-entrada

MAIA - GUARULHOS

Av. Bartholomeu de Carlos, 230 

(11) 3728 9110

BATEL - CURITIBA

Avenida do Batel, 1868  (41) 3020-3500

LORENA - SÃO PAULO

Alameda Lorena, 1.731 

(11) 3062-1063

CURADORIA: